Seguidores

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Ti voglio tanto bene


Dimmi
Che tuo amore non muore
È come il sole d'oro
Non muore mai piú

Dimmi
Che non mi stai a enganare
Che il sogno mio d'amore
Per sempre sei tu

Oh! cara
Ti voglio tanto bene
Non ho nessuno al mondo
Piú cara di te

T'amo
Sei tu il mio grande amore
La vita del mio cuore
Sei solo tu

Una stella
Brilla in mezzo al cielo
La mia stella sei tu
Tu sei il mio camino

Oh! cara
Ti voglio tanto bene
Non ho nessuno al mondo
Piú cara di te

T'amo
Sei tu il mio grande amore
La vita del mio cuore
Sei solo tu
musica Italiana

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

FLYNG- TRADUÇÃO- CHRIS DE BURGH



Voando, eu jamais pensei que aprenderia assim voando
Eu pensei que eu gastaria minha vida inteira tentando,
Por estar voando nessa arte antiga mantendo um pé no chão...

Mentindo , eu jamais pensei que manteria mentindo,
Eu pensava que perderia tudo isso suspirando ,
Por estar mentindo nessa arte antiga de esconder essas palavras para nunca serem achadas

Chorando , eu pensava que nunca pararia esse pranto ,
Eu pensava que eu sempre sonharia morrendo
Por estar chorando nessa arte antiga de inundar rios no chão

Oh morrendo , eu jamais imaginaria me ver morrendo ,
Eu pensava passar minha vida inteira voando ,
Por estar morrendo nessa arte antiga de manter um mundo girando ao redor

Suspirando , eu jamais iamginaria me manter suspirando
Eu sempre pensei estar ainda chorando ,
Por estar suspirando nessa arte antiga de respirar mágoa em toda a parte

E tentando , eu pensava que gastaria minhas estações tentando ,
Eu pensei que poderia parar-me de estar mentindo,
Por estar tentando nessa arte antiga de provar que o mundo é redondo

Oh voando oh oh , mentindo oh oh , chorando oh oh , suspirando oh oh , tentando oh oh , e morrendo oh oh , por estar morrendo nessa arte antiga de crescer flores no chão,
Sim é isso...

Deixe me chorar


Deixe me chorar,
Deixe me gritar.
Afogar minha amargura no mais infinito pranto.
Lamentar o que eu perdi e também o que nunca tive.
Meus sonhos foram todos destruídos.
Minhas flores pisoteadas.
E meu coração esmagado.
E o que sobrou em mim?
Fragmentos...
Fragmentos que juntei um a um,
No anseio e na esperança de recompor um ser.
De um dia alcançar, de um dia recuperar.
Deixe me chorar.
Não me console ,nem me censure.
Apenas fique ao meu lado .
E quando meus olhos se secarem e o pranto cessar.
Coloque me em seu colo,olhe nos meus olhos e sorria.
Pois é em ti que recupero meus sonhos.
No seu sorriso que tenho minhas flores.
E nos seus olhos que eu encontro o amor...

Ana Paula Jalloul

Olhos


Meus olhos te contemplam
Minha boca te deseja
Suas mãos ,são como fogo
A percorrer por meu corpo.
Seus beijos, são como a água
Que sacia minha sede.
No seu colo encontro o aconchego.
No seu peito a proteção.
Na sua alegria um novo universo!!
No seu amor,
Tudo o que preciso!

Ana Paula Jalloul

Miragem


Ó miragem...
Torna te Oásis.
Cura minhas feridas com teu balsamo,
Faz me repousar em tua sombra.
Sacia minha sede ,
Dando me forças para viver.

Ó miragem ...
Diante dos meus olhos
Tão nítida e tão irreal
Tão perto e tão distante
Meus pés, já se cansaram
minhas voz, não mais ecoa
O meu caminho ,eu já perdi

Ó miragem torna te Oásis
E seja o meu refugio.....

Ana Paula Jalloul

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Sarau destacou o lançamento dos livros Amigos da Sandice e Poetivivendo


Notícias
Sex, 20 de Agosto de 2010 11:55
O lançamento dos livros Amigos da Sandice e Poetivivendo, que aconteceu nesta última quinta-feira, às 19 horas no restaurante escola da Câmara Municipal contou com a presença de mais de 200 pessoas. Além do lançamento dos livros, o evento contou com sarau, dividido em quatro eixos temáticos: regional, romântico, político social e livre, o evento teve apresentação de 14 poemas que intercalavam com músicas. Dentre as músicas cantadas estavam: Asa Branca de Luiz Gonzaga e Minha língua do Nilson Chaves, que marcaram a temática regional; A namorada de Carlinhos Brown e Como eu quero de Kid Abelha representando o eixo romântico; e Fétidos, Crimes e Demônios de Felipe e Joes Meuã, que encerram o último eixo, o político e social.O livro Amigos da Sandice é formado por poemas dos mais diversos autores, dentre eles o Anesino Sandice, o mesmo autor do livro Poetivivendo. Homenageado pelo escritor Lamartine Figueiredo Filho com uma medalha, o poeta Anesino Sandice teve o prazer de ouvir alguns de seus poemas recitados por amigos e poetas que estiveram presentes. “O Anesino sabe muito bem entender, fazer e transmitir a poesia, que muitas vezes é deixada de lado na correria do dia-a-dia”, disse Lamartine, que explicou a importância do momento, “eu vim de Cabo Verde, Minas Gerais a 250 Km de São Paulo, só para este evento, eu não poderia perder a oportunidade de homenagear o Anesino”.Representando o mandato do vereador Chico Macena, Ricardo Cardoso agradeceu a presença de todos. O evento contou com a participação de alunos do Mova (Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos) e do EJA (Educação para Jovens e Adultos) de São Paulo e de Guarulhos. Representantes do movimento cultural de Ermelino Matarazzo como o Chapéu da Rádio Filó também marcaram presença.Também foi cantado durante o evento o hino do Mova. Integrantes da rádio comunitária Cantareira, hoje veiculada pela internet, estiveram presentes, como Nado Itaguary, que também representou do Instituto CEPODH (Centro Popular de Direitos Humanos) localizado em Taipas. Poetas de plantão aproveitaram o espaço do eixo livre para se apresentar. O coordenador do Movimento Estadual da população de Rua Robson Mendonça e o representante da entidade Ecos do Meio, Carlos Mahlengo recitaram poema. O grupo de rap, Odisséia das Flores, também se apresentaram. O evento foi encerrado com coquetel.Poetas e autores do livro Amigos da Sandice:Anesino Sandice Nado Itaguary Ricardo Cardoso Samia Sartori Naielem Kretlen Rubinei Manoel

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

ITAIM PAULISTA - O SITE DE INFORMAÇÕES E ENTRETENIMENTO DO SEU BAIRRO

ITAIM PAULISTA - O SITE DE INFORMAÇÕES E ENTRETENIMENTO DO SEU BAIRRO

Ricardo Cardoso

No balanço do trem


No balanço do trem


No balanço do trem
Gente que vai
Gente que vem
Sonhos da janela do trem
Crianças, mães, olhares anônimos
Viagem com destino certo
Sonhos sem destino
Entre passado e futuro
Amor bandido
Desabafo em lagrimas
Fogo da paixão
È hora!
No balanço do trem
Sonhos sem destino
Vidas separadas
Até o próximo
Balanço do trem!

Autor Ricardo Cardoso

Tardes de Quarta


Tardes de Quarta

O sol invade a lua, terça feira da lugar a quarta feira
Um dia especial, de esperança e felicidade
O relógio aflito faz aumentar a ansiedade
Todos os ônibus, olhar fixo, a espera
Coração acelerado
Até que uma linda mulher vem ao meu encontro
Passos firme e sensual, sinto o seu perfume, sua respiração seu desejo
Desejo! De amor, de ser compreendida de ser ouvida
Eu a observo calado, meus olhos falam o que sinto, e no intenso gosto da paixão, vamos ao paraíso, só dois sem espaço para vida alheia
Corpos suados, juras de amor eterno
O sol se vai, o intenso gosto da paixão da lugar a tristeza
Ela partiu, aquela linda mulher, com seu andar sensual
E eu cá no meu canto fico a espera
Como em um ritual,
A espera da linda mulher
Nas tardes de quarta!

Autor Ricardo cardoso

sábado, 14 de agosto de 2010

Menina mulher


Menina mulher

Onde está você
Doce menina mulher
Que me fizeste amar
Onde está o sorriso
Que me conquistou
Onde está o olhar
Que me encantou
Onde está o abraço
Que me fez sonhar
Onde está a doce menina
Que me fez feliz
Onde está a menina mulher
Que me fez Poeta!

Autor Ricardo Cardoso

Romanesco


Romanesco

Quem sou
Poeta ou sonhador
Pintor ou escultor
Sedutor ou conquistador
Sou eu um sonhador
A eterna procura de um amor
Poeta será que sou
Pintor dos sonhos perdidos
Escultor da natureza morta
Quem sou
Sedutor, já nem tanto
Conquistador, acho que não
Talvez um sonhador,
Poeta, pintor e escultor
Ou só um sonhador!

Autor Ricardo Cardoso

Poesia


Poesia

Poesia, uma coisa engraçada
As palavras já existem
Basta organiza-las
Mas só quem escreve com o coração
São capazes de organizá-las
Em poesia!

Autor Ricardo Cardoso

Frases

Frases

Não vim a este mundo para ser anônimo!

O mais difícil, não é ser só um solitário
E sim ser um solitário só!

Os sonhos são como uma escada
Não tente escalar o topo
Sem subir degrau por degrau!

O sol a lua as estrelas
A vida a terra
Se Deus criou tudo isso
Porque o homem insiste em destruí-lo!

Muitas pessoas não conseguem
Enxergar o que você fez
Só conseguem enxergar
O que você não fez!

Autor Ricardo Cardoso

Corpo


Corpo

Corpo desejado
Sagrado, vida
Pecado que consome
Bálsamo que contagia
Curvas que enfeitiçam
No cálice o calor
Ardente da paixão!

Autor Ricardo Cardoso

Por acaso


Por acaso

Por acaso on-line
Por acaso vi você
Por acaso escrevi para você
Por acaso você aceitou
Por acaso o mesmo arrabalde
Por acaso amigos em comum
Por acaso um encontro
Por acaso senti sua falta
Por acaso gostei de você
Não por acaso te amo!

Autor Ricardo Cardoso

Encontro


Encontro

Quando me encontrei
No sorriso dos seus lábios
No brilho dos seus olhos
No aperto do seu abraço
No beijo da sua boca
No encontro do seu corpo
Não ouvi, nem vi
Só senti!

Autor- Ricardo Cardoso

Poeta


Poeta

Dos seus versos a poemas,
Pensamentos no papel

Poeta, na suas lembranças,
Amores,sonhos

Como entender?

Poeta, que vê poesia em um olhar,
Mas também amargas palavras

Poeta, solitário,sonhador,
Mentiroso ou realista

Poeta, nem sempre compreendido,
Palavras confusas, sem rima sem graça

Poeta, como entender tua alma?
Poeta, como enxergar com teus olhos?

Ah! Poeta, se nem tu se entende
Como queres que eu compreenda
Os sentimentos de um
Poeta!

Autor- Ricardo Cardoso

Íntimo


Íntimo

O que fizeste comigo?
Porque me acordaste?
Eu cá no meu canto
Adormecido no amor
Sufocado, amores ou não
Lembranças passadas
O que fizeste comigo?
Adolescente já não sou
Chegaste de mansinho
Com este teu jeitinho
Acordaste um coração ferido
Para que?
O tempo...
Já não o seu
O que fizeste comigo?
Porque me acordaste?
Para que?
Oh! púbere mulher!

Autor Ricardo Cardoso

Dois Povos


Dois Povos

Brilho no olhar
Suspiro no ar
Corpus laçado
Calor na alma

Dois povos
Mãos trocadas
Balé dos cisnes
Lago que chora
Pássaros que vi
Crianças que senti

Dois povos
Prisioneira do flash
No metal frio
História de um povo

Dois povos
Um coração
Dois corpus
Um desejo
Duas bocas
Um beijo

Dois povos
Um suspiro
Dois povos
Futuro incerto
Dois povos
Um sorriso
Dois povos
Desejos!

Autor-Ricardo Cardoso

Almas Tristes


Almas Tristes

Duas almas
Duas gerações
Duas vidas
Separadas pela vida
Encontro e desencontro
Amor covarde, bandido
Almas aprisionadas
Escolha confusa
“Até que a morte os separe”
Ou não!
Almas confusas
Almas aprisionadas
Almas tristes
Almas!
Encontro e desencontro
Almas!
Duas almas
Almas em conflito
Almas tristes!

Autor Ricardo Cardoso